Papo de papinha!

Já falei aqui antes que faço questão de preparar a comidinha do Arthur sempre… que dá! Sim, porque a vida é corrida, louca e atropela a gente. Então, por ser normal, às vezes, uso do artifício da comidinha pronta e pronto, sem culpa. Já que não estragam tão fácil como frutas e comidas que fizemos em casa.

Aqui nos Estados Unidos compro de várias marcas diferentes. Todas orgânicas e sem adição de sal ou açúcar e conservantes e produtos artificiais. As opções são muitas e variam de 50 centavos a US$ 1,80. Indico muito pra quem quer viajar por aqui com bebê e até pra gente é bem gostoso 🙂 Marido vive atacando o armário das papinhas.

IMG_1638IMG_1639

Mas, quando fui para o Brasil me chamou a atenção a dificuldade de encontrar papinhas orgânicas – ok, sei que os orgânicos são ainda caros e quase que inacessíveis no Brasil. Porém, achei que bem inflacionada, acharia algo. Procurei muito em Brusque e Floripa nos supermercados, não achei em NENHUM.

Além disso, as não orgânicas, achei caríssimas, mais de R$ 6. Como sou a louca do rótulo (e do orgânico) – sim, leio tudo que como – comecei a avaliar o que colocam nos potinhos das crianças. Todas que vi (industrializadas de marcas famosas) têm acréscimo de sal – que acho que como indicam pra bebês acima de oito meses realmente não é nem necessário nem aconselhável – e óleo de canola e óleo de milho (não sou nem um pouco fã de nenhum dos dois).

Screen Shot 2017-08-16 at 8.46.17 PM

Achei algumas opções online, que pareciam bacanas que até estavam disponíveis em “lojas especializadas de produtos naturais”, não experimentei pois não deu tempo e o preço realmente é bem salgado – preço gourmet assim como o adjetivo dado às papinhas. Tudo que é caro ou quer justificar o preço virou gourmet no Brasil, preguiça!

Mas voltando à papinha, essa praticidade de passar em qualquer mercado e pegar rapidinho algo bom – de qualidade – orgânico – e pagável, ainda não chegou ao Brasil ou eu não achei….  Claro e óbvio que aqui também tem muita porcaria, mas opções boas são incontáveis. Alguém teve alguma experiência melhor por ai? Quais as opções mamis?

 

 

 

 

 

 

Anúncios

Para o dia nascer feliz – sucos multicoloridos

Faz uns quatro cinco anos que me apaixonei pelos sucos-verdes – que na verdade são um verdadeiro arco-íris. Morava no Havaí e entrei em uma onda natureba inspirada pelas paisagens e boa vida que me rodeavam. No início fazia no liquidificador mesmo e depois acabei comprando um Nutribullet porque achei que facilitaria a vida e isso realmente aconteceu. Me apaixonei pelo bichinho e dei vários de presente para os amigos e família pra ver se iniciava uma onda verde pelo mundo…

Minha gravidez foi regada – diariamente – por sucos de todas as tonalidades. Foi a fase mais saudável da vida o que me rendeu 9 meses de qualidade de via incrível sem nenhum pé inchado – em breve escrevo sobre isso. E depois, confesso, que um bebê e cinco milhões de coisas ao mesmo tempo me deixaram meio ‘relapsa’ e o diariamente não foi mais seguido ao pé da letra. Mas, agora estou de volta (espero) na busca pelo melhor elixir, pela dose de energia vinda de um copo que mais parece uma salada batida. E vou falar aqui das minhas receitas:

Regra número 1 – não tenho receitas prontas, cada dia invento um sabor novo no meu caldeirão de bruxa :-). Mas, tenho as dicas:

  • tento sempre comprar tudo orgânico – verdes, frutas, ervas, …
  • compro pacotes de frutas (gigantescos de quase 2 quilos – esses aí de cima) congelados e os verdes acabo congelando pra durar mais. O segredo do sucesso é ter sempre tudo em casa em grande variedade.
  • quando tenho frutas e verduras frescas também uso, claro
  • As ervas: hortelã, manjericão (também congelo)
  • Gosto de colocar também amendoim, nozes, avelã e outros nuts parentes deles – ou mesmo pasta de amendoim e de avelã
  • Outros ingredientes: cúrcuma (açafrão), chia (sempre hidrato antes e deixo pronto na geladeira por uns 5 dias), linhaça, pimenta caiena e gengibre em pó.
  • AMO pólen de abelha – o melhor é comprar de produtores locais, pois assim quem tem alergia ao polén, se beneficia criando anticorpos.

Na hora de fazer o suco, brinco de vale tudo (ou de bruxa no caldeirão) e de seguir a intuição do dia e da vida. Acho que tenho um talento pra combinações rsrsrsrs e gosto te todas. Alguns amigos não conseguiram tomar o copo inteiro algumas vezes, o marido se sente obrigado e quando pergunto como está, muitas vezes, a resposta é “saudável”. (Não delicioso).

– Sempre coloco no fundo do copo do Nutri muitas folhas verdes, compro uma pacote que já vem todas misturadas (espinafre, rúcula, couve, agrião…).

Depois coloco as frutas: gosto de misturar pelo menos 3 frutas – confesso que as minha preferidas são as vermelhas; blueberry, blackberry, morango, cereja, romã e amoras. Adoro misturá-las com manga, porque além do gosto dá uma textura boa). Mas realmente depende das frutas que tenho em casa. Uma cítrica, pelo menos, dá um toque especial.

  • Cenoura, beterraba e gengibre são sempre bem-vindos nos meus sucos.

No final vão os acessórios, como chamo: linhaça, chia, amêndoas, manjericão, hortelã, canela, pólen, semente de abóbora, de girassol … e o que mais achar que combina.

  • Eu nunca coloco banana, não gosto porque acho que rouba o gosto do resto e fica só com gosto de banana, mas o marido quando acha saudável demais (leia-se ruim) coloca uma banana e bate.

ADITIVOS – Gosto de adicionar vez ou outra Whey Protein, Kombucha, Kefir e outros aditivos – em breve falo mais sobre isso.

E saúde! Você tem alguma dica pra compartilhas sobre suco-verdes? Conta aí!

 

 

 

O que tem na sopa do nenê?

Já ouvi MUITAS e MUITAS vezes:

  • “A comida dele não tem nem sal nem açúcar??????
  • E a resposta é NÃO!!!!! E NÃO!!!!!!!! O que mais espanta é o espanto das pessoas com a negativa. A criança tem um ano e meio e não precisa disso e ponto. Mas parece que o ET aqui sou eu.

Até a família – que sabe muito bem que desde que ele começou a comer papinha é assim – ainda pergunta isso inúmeras vezes, faz questão de tentar: Posso colocar um tiquinho? Tadinho dele né, comer esse negócio insosso”… E a resposta é não!

E brincam: Ahhh quando ele ficar comigo vou dar um bolo escondido…. E eu digo: Deem drogas ao filho de vocês, não para o meu. (silêncio…..). Ontem  o marido ainda soltou uma quando perguntei se a sopa do Arthur estava boa: ‘Tá meio sem gosto… não tem sal né”. Respiro, inspiro…. conto até 25.030.

E o espanto continua: O que, ele não comeu bolo no aniversário dele de um ano??? Oi???? Gente, quais são os benefícios do açúcar e do bolo?

Faço diariamente a comida do Arthur recheada de legumes multicoloridos, a maioria cozida em água ou no vapor e só. Carne, frango e peixe – assados ou cozidos – com temperinhos verdes e alho – e só. Come massa, quinoa, cuscuz, arroz integral… Tudo sem sal. E ele come muito, limpa o prato e todo santo dia pede MAIS!

Come muita fruta também e daí por si só já vem a frutose – o açúcar que ele precisa. No máximo uma vez por dia toma suco – pois a fruta tem mais fibra e o suco mais açúcar (natural). Jamais acrescentei e acrescentaria açúcar. Por morar nos Estados Unidos – em em Los Angeles onde o acesso a comida orgânica é incrível, acredito que uns 95% da alimentação dele seja orgânica.

Bolo, torta e afins? Salgadinhos, salgados e parentes desses negócios? Nada!

Mas, como sempre digo, também é filho de Deus, então come pão, massa (que tem açúcar e sal) e até pão de queijo vez ou outra. Diria que é a pior coisa que ele come, nutricionalmente falando. Tirando o vilão pão de queijo, o pão, a massa, yogurt, leite, frutas, verduras e qualquer papinha pronta que eu compro é tudo orgânico. 

No Brasil o consumo médio em geral de sal está bem acima do recomendado pela Organização Mundial da Saúde. Então só fará bem a saúde do bebê e a da família inteira se você se acostumar a comer tudo com menos ou zero sal. Eu confesso que sempre fui muito fã de sal, tascava sal antes da primeira garfada, mas agora como a mesma comida dele, geralmente 100% sonsa. Ou com uma pitada de sal do Himalaia.

MOMENTO FOFURA e comida sonsa:

 

A relação que a criança terá com a comida depende da educação nutricional que ela tem em casa. Por isso, devemos ser muito conscientes do que damos de comer ao nosso bebê. Quando ele crescer (bastante) pode escolher como prefere ter a alimentação, mas por enquanto que tenho controle desse prato, aqui querido, mando eu!

O excesso de sal e de açúcar é a origem de uma infinidade de doenças. A proposta é evitar estes alimentos para o bebê e moderar o seu consumo durante toda a infância. 

O bebê desenvolve suas papilas gustativas entre os 6 e os 24 meses. Então até os dois anos – pelo menos – vai ser assim…. E a chata vai continuar a deixar a comidinha do bebê sem gosto kkkkk  Me desculpe vocês, mas ela é deliciosa e se não quiserem sobra mais pra gente!

 

 

Descoberta deliciosa

Deparei dia desses no supermercado com um daqueles estandes pra gente experimentar novos produtos: Bala de banana! Parei, claro! E não é que são iguaizinhas àquelas que comia na infância? Papo vai papo vem com o moço e ele nos conta que o dono é brasileiro e resolveu reproduzir aqui o sabor da infância! Deliciosas! E tem também cobertas com chocolate, tudo orgânico!!!! Tudo bem que a bala que a gente comprava na vendinha há algumas décadas era beeeeeeem mais barata….

img_4843

O primeiro brinde!

Por aqui a vida é assim, começa com poção mágica orgânica! #FicaADica

Cada dia faço uma experiência diferente, essa acima teve espinafre, rúcula, aipo, morango, maracujá, gengibre, cenoura, chia, linhaça e pólen de abelha.

Saúde! Cheers! Prosit!

Receitinhas e descobertas do universo orgânico aparecerão por aqui! Porque os EUA podem ser o país da junk food, mas também é o paraíso do mundo orgânico, acredite!